Blog / Blockchain / É possível utilizar blockchain no processo eleitoral?

É possível utilizar blockchain no processo eleitoral?

Em época eleitoral muito se questiona a segurança do processo de votação, como são computados os dados e da incolumidade do processo eleitoral como um todo. Alinhando essa insegurança com uma tecnologia que se propõe a ser a tecnologia mais segura do mercado, nós temos o questionamento se a utilização de blockchain no processo eleitoral é viável ou não.

Para responder isso precisamos entender como seria essa aplicação no nosso sistema eleitoral vigente.

Blockchain é um banco de dados descentralizado, que pode disponibilizar as informações de forma pública (o que pode fazer com que qualquer pessoa visualize um histórico de ações e faça uma “auditoria” nos processos) e criptografada (possibilitando que apenas os usuários envolvidos na ação visualizem todos os dados, garantindo a segurança de quem realiza uma transação financeira).

Com a utilização de blockchain no processo eleitoral, o voto de cada cidadão seria marcado na blockchain e disponibilizado publicamente de uma forma criptografada.  Dessa forma, cada eleitor poderia verificar se o seu voto confere com o que foi registrado e, caso ocorra alguma divergência, é possível abrir um processo com base nesse registro.

Outras Facilidades Possíveis:

Como a blockchain não depende de um lastro centralizador, qualquer processo pode ser feito em qualquer lugar, o que é necessário é apenas ter uma máquina conectada à corrente em qualquer lugar.

Essa característica poderia possibilitar, por exemplo, que a votação seja feita em casa. Assim o processo eleitoral poderia ser mais facilitado e não precisaria dos gastos de deslocamento do material necessário para a eleição tal qual ela é feita atualmente. Contudo a forma de votação precisaria ser estudada, pois seria necessário garantir que o voto continuasse secreto, já que esse é um aspecto importante citado na Constituição Brasileira

Mas por que a tecnologia ainda não é utilizada nas urnas eletrônicas?

Na verdade, a urna eletrônica já utiliza uma forma de criptografia no processo após o voto para que as informações sejam transportadas de forma segura e sem risco de fraudes.

Segundo o próprio Tribunal Superior Eleitoral, são usados algoritmos proprietários de cifração simétrica e assimétrica, de conhecimento exclusivo do TSE.

A utilização de blockchain seria então para garantir que os registros, além de imutáveis, fossem disponibilizados para uma auditoria pública, dessa forma não haveria nenhuma dúvida sobre a validação e a segurança do voto, além de utilizar uma tecnologia de ponta para garantir a integridade de todas as informações.

Para saber mais sobre os porquês da tecnologia blockchain ser tão segura, nós fizemos um texto explicando como funciona a tecnologia blockchain para tirar todas as suas dúvidas sobre esse aspecto. Se você ainda tem algumas dúvidas sobre a tecnologia em si e como ela funciona, o nosso texto tudo o que você precisa saber para dizer que sabe o que é blockchain é ideal para você saber o básico sobre a tecnologia. Além disso, você pode descobrir alguns dos problemas que a tecnologia está enfrentando e que podem ser impeditivos para a ampla adoção no nosso texto 3 problemas que a tecnologia blockchain precisa superar para revolucionar o mercado

Acesse também o nosso e-book 5 tecnologias para revolucionar governos e saiba quais outras tecnologias você deve ficar de olho para se preparar para o futuro.