Blog / Blockchain / Blockchain e IOT: uma parceria possível

Blockchain e IOT: uma parceria possível

Blockchain e IOT são duas palavras da moda e em geral quando se fala em duas tendências tecnológicas é normal que se pergunte: Estas duas tendências fazem sentido em conjunção? Este artigo discorre sobre esta questão.

As pessoas estão conectadas o tempo todo e hoje, devido a esta conexão, temos informações imediatas decentralizadas e que melhoram a nossa vida. Vejam o aplicativo de mobilidade “Waze”, por exemplo. Hoje melhor que qualquer sistema colocado à disposição por um provedor é a informação que temos em tempo real das pessoas utilizando o Waze que nos dizem como o tráfego está fluindo. A Internet das coisas (Internet of Things ou IOT) usa o mesmo conceito, mas imaginando que coisas ao invés de pessoas dando a informação em tempo real de seu status teremos milhares de medidores inteligentes, módulos ligados a itens no supermercado ou até um pacote informando coisas relevantes a uma determinada aplicação. Tudo em tempo real. O que você acha de receber uma mensagem vinda diretamente de sua encomenda te avisando onde ela está, da mesma forma que você vê hoje o motorista de aplicativo chegando na sua casa?

Blockchain é outra tecnologia que já não é mais promissora, mas já  é uma real disrupção. A blockchain permite que milhões de pessoas troquem valor em criptomoedas de uma forma decentralizada e “quase” imediata. As principais vantagens de blockchain são a descentralização com integridade de dados, a anonimização de dados e a imutabilidade que dá segurança à informação.

Existe possibilidade de criar valor juntando-se estas duas tecnologias? Esta é a pergunta óbvia de quem vê duas tecnologias tão promissoras emergindo.

Analisando a parte técnica do IOT existem três grandes restrições no desenvolvimento de nodos de coleta de dados: memória e processamento. Estes pequenos dispositivos em geral são projetados para ficar em campo vivendo através de uma bateria, o mais barata possível, por 5 a 10 anos. Sendo assim eles são projetados para consumir o mínimo possível.

Aí já vemos uma incompatibilidade em imaginar nodos minerando dados com arquivos armazenando todas as transações da rede como o caso de um computador minerando bitcoins. Para resolver este problema várias técnicas tem surgido na área das criptomoedas que podem ser utilizados para a conjunção das duas tecnologias.

Combinar IOT e Blockchain exige adaptações

Vários artigos têm sido publicados nesta área tanto para o uso de blockchains públicas quanto de blockchains permissionadas.

Outra alternativa que foi apresentada, por exemplo, com a criptomoeda IOTA é o uso de uma estrutura de dados diferente (no caso um DAG – Grafo Acíclico Direcionado) de forma a evitar que o arquivo completo tenha que ser armazenado pelos nodos e com um sistema de consenso diferente uma vez que o algoritmo original de consenso do bitcoin exige a informação sobre todas as transações realizadas no mundo inteiro para funcionar, o que, como já vimos não seria possível em IOT.

Alternativas existem também no sentido de termos IOT organizado em topologias estrela, por exemplo, usando redes do tipo LPWAN. Nestas arquiteturas os nodos não estão Diretamente ligados à internet, mas apenas um chamado “concentrador”. Este concentrador tem mais capacidade de memória e processamento e pode ser parte da rede blockchain enquanto os nodos ficam “escondidos” como uma pequena rede interna destes e geram dados. Neste caso temos uma arquitetura mista onde a pequena rede LPWAN é centralizada, mas a rede de todos os concentradores age de forma decentralizada rodando algum algoritmo de consenso baseado em blockchain.

Ainda existem vários desafios a serem tratados de forma a utilizar todo o potencial destas duas tecnologias juntas e vários atores trabalhando para isto. Provavelmente, em um curto prazo, veremos implementações conjugando as duas tecnologias e obtendo sucesso no mercado mundial.