Blog / Blockchain / 3 problemas que a tecnologia blockchain precisa superar para revolucionar o mercado

3 problemas que a tecnologia blockchain precisa superar para revolucionar o mercado

Quando foi lançada em 2009 não se imaginava que a tecnologia blockchain fosse se tornar o fenômeno que é hoje, com grandes empresas não só olhando com bons olhos, como também colocando esforços para adotá-la e sair na vanguarda dessa tecnologia que já é chamada como “a maior revolução tecnológica desde a internet”.

Mas, assim como qualquer inovação na área da tecnologia, existem alguns entraves para o uso de blockchain que precisam ser resolvidos logo para aumentar as possibilidades e popularizar ainda mais a tecnologia.

Falta de informação

Mesmo após nove anos de seu lançamento a tecnologia ainda tem seus “mistérios” e é associada apenas com criptomoedas.

Ainda que faça parte de um mercado focado em inovação, a tendência de acomodação é mais forte quando o tópico é banco de dados, dessa forma a tecnologia contou com poucos early adopters nos seus primeiros anos, quando ela ficou limitada apenas a ser a “tecnologia por trás do bitcoin”.

Hoje os grandes players da área de blockchain são empresas já solidificadas no mercado tecnológico (como a IBM que se tornou o maior nome em inovação em blockchain) e a roda começa a girar em direção a um progresso e uma ampla adoção.

Hardware

As blockchains mais conhecidas utilizam um sistema de “Proof of work” que consiste em remunerar o usuário com base no seu potencial de processamento utilizado.

Esse sistema bonifica quem possui computadores mais potentes e, consequentemente, quem investe mais em hardware. Isso gerou um aumento no valor de placas de vídeo forçando os mineradores a aumentar investimentos e nem sempre obtendo um retorno nesse investimento.

Mas, felizmente, para os casos de uso de blockchains privadas esse investimento é menor, visto que os nodos que compõem uma blockchain não precisam “provar o seu trabalho” já que todos fazem parte de uma rede privada e não dependem de remuneração.

Número de transações

Esse é o maior motivo pelo qual as empresas de cartão de crédito ainda não adotaram um banco de dados em blockchain. Por exigir uma confirmação complexa de todas as transações, o número de transações por minuto ainda não consegue ser tão alto quanto o necessário. A rede bitcoin realiza atualmente uma média de 60 transações por segundo enquanto a Visa informou que, em 2013, já era capaz de realizar 47.000 processos no mesmo período. O criador da rede Ethereum afirmou já estar trabalhando para aumentar exponencialmente a quantidade de transações para que a rede se torne uma opção viável até para as empresas de crédito mais competitivas.

Mesmo com todas as limitações mostradas a tecnologia blockchain ainda se apresenta como a melhor tecnologia para se apostar atualmente, sua rastreabilidade e seus altos índices de segurança são o que motiva grandes investimentos ao redor do mundo em diferentes áreas.

 

Se você quer saber um pouco mais sobre blockchain acesse nosso post “tudo o que você precisa saber para dizer que sabe o que é blockchain”, se o seu interesse é saber mais sobre a segurança que a tecnologia proporciona dê uma olhada no texto “Como funciona a segurança da tecnologia blockchain”, mas se o seu interese é conhecer mais sobre algumas aplicações da tecnologia recomendamos o nosso post “5 cases de utilização de blockchain para quem quer otimizar processos”.

 

E não esqueça de inscrever-se na nossa newsletter e seguir nosso perfil das redes sociais no Facebook e no Linkedin